Santa Catarina se consolida como maior produtor de carne suína

Facebook
Twitter
WhatsApp
Email

O Estado catarinense exportou, entre janeiro e junho deste ano, 321 mil e 200 toneladas de carne suína, com crescimento de 14,9% em relação ao primeiro semestre de 2022. Rio Grande do Sul vendeu 134 mil e 400 toneladas para o exterior, crescendo 17,35% em relação ao mesmo período do ano passado. Somadas das quase 73 mil toneladas do Paraná, o Sul do Brasil soma 91% dos totais.

Neste segmento de carne de porco, o Paraná figura em terceiro lugar entre os estados brasileiros. De 2022 para 2023, teve um crescimento de 2,95%. Com isso, é o melhor ano para o setor no Estado, que assim como o frango obteve o maior volume de exportações para os seis primeiros meses do ano pela quinta vez consecutiva. Eram 48 mil toneladas em 2019, 55 mil em 2020, 62 mil em 2021 e 70,8 mil em 2022.

Além da região Sul, o Centro-Oeste passou a ter uma fatia de participação maior no segmento, com crescimento considerável das exportações do Mato Grosso do Sul, que atingiu 13 mil toneladas, representando um crescimento de 56,44% em relação ao ano anterior. Mato Grosso, também, atingiu 12,5 mil toneladas, ampliando 69,8% os números de 2022, para os primeiros seis meses.

Em 2023, em volume financeiro, as exportações de carne suína brasileira representaram a entrada no País de 178 milhões, 921 mil e 623 dólares no primeiro semestre. Na moeda nacional são 876 milhões, 715 mil, 952 reais e 70 centavos. Os dados do setor são parte do resultado da balança comercial brasileira disponibilizados pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços.

Da redação com informações do Ministério e imagem AEN.