Rede Feminina de Combate ao Câncer pede apoio para ampliar oferta de exames

Facebook
WhatsApp
Email
Twitter

O Outubro Rosa foi iniciado em União da Vitória pela Rede Feminina de Combate ao Câncer (RFCC) em 2009. A entidade promove diversos eventos e ações de conscientização com foco à saúde das mulheres. Iluminação na cor da campanha, decoração e palestras em todo o Vale do Iguaçu. O objetivo principal é detectar o câncer de mama e tratar, com acolhimento aos pacientes.

A presidente da RFCC, Sirlei Zandoná, usou a tribuna da Câmara de Vereadores de União da Vitória, nesta segunda-feira (09/10), para citar as ações, destacar a campanha e pedir apoio para ampliar a oferta de exames. 73 mil novos casos de câncer de mama devem ser registrados no Brasil nesse ano. “Isto significa o impacto na vida de milhares de pessoas, suas famílias e comunidade”, alertou.

Se detectado precocemente tem alto índice de cura, sendo fundamental ações de prevenção, levada por meio de parceiros durante o ano inteiro. A RFCC também promove o acolhimento de pessoas em tratamento de toda região, oferecendo apoio de assistência social e psicológica, suplemento alimentar e água de coco. Esse suporte abrange em torno de 500 pacientes que atualmente estão em atendimento.

Neste ano, a caminhada pelas ruas de União da Vitória e Porto União, desta quarta-feira (11/10) foi adiada por conta da enchente, as demais programações seguem normalmente. A RFCC pede auxílio para ampliar o número de mamografias, ao custo de R$ 200,00, mas conseguido desconto pela entidade numa negociação com empresas que realizam os exames. Disso o pedido de patrocínio para ampliar a oferta.

Segundo Zandoná, a lista de espera por exames é grande a entidade, diante dessa necessidade de ampliar a oferta das mamografias, busca apoio. Quanto aos atendimentos e para melhor a oferta de acolhimento e serviços, a RFCC aguarda a liberação de recursos para construir um espaço mais amplo. De acordo com a presidente, o objetivo é conseguir mais estruturas físicas para assim ampliar o suporte oferecido aos pacientes.

O atual espaço da Casa Bebel está pequeno para realizar todos os trabalhos, dividindo as mesmas salas, em sistema de rodízios, entre profissionais e serviços ofertados. A entidade tem cadeiras de roda, andadores e muletas disponíveis para serem emprestadas. Além de pacientes em tratamento de câncer, também servem a comunidade em geral. Também, as vendas do bazar, o trabalho voluntário e diversas campanhas em andamento.

Da redação com informações e imagem/reprodução da Câmara de Vereadores.