Defesa se pronuncia sobre publicação de Jeciel Franco repercutida em reportagem

Facebook
WhatsApp
Email
Twitter

Com base nos Autos e condenações em 1ª e 2ª Instâncias, o advogado Gerson Santos disse que a perda de mandato não pode ser colocada na conta da sua cliente. “Não foi uma solicitação dela. O que ela queria é que se fizesse Justiça. Ela foi ameaçada, como outras pessoas também o foram, por esse nobre parlamentar”, explicou o jurista especialista em defender mulheres. Isso após a publicação do CJ1, com referência à postagem do vereador Jeciel Franco, e pedindo para contar o outro lado da história, por parte da defesa.

O advogado esclarece que a condenação de Jeciel Franco e crime de ameaça passou por processo no judiciário. “Quem disse foi a Justiça, foi o judiciário em 1ª e 2ª Instância. Certo? Não me cabe também dizer se tinham ou não tinham provas suficientes”, esclarece o especialista. Deixando claro que a decisão foi tomada pelo juiz e mantida pelos desembargadores do Tribunal de Justiça do Paraná (TJPR).

Com base nisso, seguiu o pedido para perda de mandato, não por interesse da vítima, mas para cumprir as determinações legais até por se tratar de um envolvido com cargo de vereador. Gerson Santos enumera que Jeciel Franco foi alvo de outras denúncias relacionadas ao seu nome. Também parlamentar foi flagrado supostamente em festa clandestina na época da pandemia. Apesar de afirmar ter conduta ilibada e trajetória.

Sobre situações que envolvem a filha, citadas serem de vingança, o defensor explica não ter relação com a condenação. “A ação era uma ação da vítima, minha cliente, contra o agressor e foi isso que o judiciário verificou”, frisa. Relacionados à criança, tramitam em segredo de Justiça, mas o advogado informou se tratarem de regulação de visitas e valores de pensão alimentícia. Explicando tudo estar dentro das determinações legais, com decisões do judiciário e baseadas em provas.

“Por que resolvemos dar essa nota? Porque isso tem que parar! Isso tem que parar. Essa violência contra a mulher, a violência psicológica, a violência física. Temos que dar um basta nisso! De alguma forma. Ninguém está acima da lei,” frisa o defensor. O advogado de defesa pede respeito à lei. “Que ao final, se faça Justiça”, completa.

Da redação com informações da defesa via advogado Gerson Santos e imagem reprodução redes sociais/arquivo CJ1.