Prefeitura organiza centro de emergência e apoio em São Mateus do Sul frente às chuvas

Facebook
WhatsApp
Email
Twitter

O Ginásio de Esportes Olívio Wolff do Amaral (Polacão) e Centro de Convivência do Idoso Elpídio Brusque, ambos no Jardim Dona Hermínia, concentram os trabalhos. Enquanto a Prefeitura ativou a Defesa Civil e com equipes fornece o apoio para famílias em situação de emergência. Apenas uma necessitou de ajuda para sair de casa. Ao todo, são cinco famílias desalojadas em São Mateus do Sul.

A Prefeitura informou que, em caso de emergência, as pessoas procurem pelo Centro de Convivência do Idoso onde será realizado o cadastramento e fornecido alimentação e acolhimento. Se precisar de alojamento, o Ginásio Polacão, que fica em frente, está preparado para servir as famílias afetadas. Até o momento, cinco precisaram sair de suas casas, mas todos foram para moradia de parentes, quatro por conta própria.

Para a prefeita, Fernanda Sardanha, é uma situação que várias cidades enfrentam, no Paraná e Santa Catarina. Alguns representantes da imprensa local puderam ouvir ela e demais componentes da Defesa Civil, no final da tarde deste domingo (08/10), onde foi apresentado o relatório de atendimentos. Houve diversos pontos de alagamento, sendo a região da Raia a mais atingida, também o entorno do Rio Canoas.

No caso, na Vila Buaski e Loteamento São Joaquim, parte da Rua Tenente Max Wolf Filho. A família que teve apoio da Defesa Civil para sair de casa era da região da Raia, próximo ao CTG, onde não houve transbordamento, mas o acúmulo de água da chuva causou inundação da residência. Da mesma forma outras quatro que saíram de suas residências para moradias de parentes por conta própria.

De acordo com a Prefeitura, pontos de alagamento na área rural foram registrados no Emboque, Paiol Grande, Estiva, Burrinho, Borrachão, Espigão, Rosas, Turvo de Baixo, Turvo de Cima, Turvo Barracas, Terra Vermelha, Água Branca, Mandurim e Mico Magro. Duas equipes estão organizadas com estruturas para atender quem precisar, além do acolhimento ofertado no Centro de Convivência.

A previsão de aproximadamente 65mm de chuva se confirmou, entre 15h e 17h foi o momento mais crítico. Contudo, segundo as informações repassadas, não teve nenhuma família atingida por transbordamento, mas sim por questões de drenagem onde a estrutura não venceu escoar as águas das chuvas. Vila Canoas é um dos locais mais delicados. O rio da Raia não chegou a transbordar, de acordo com a Defesa Civil.

Na Usina Velha está sendo monitorando, também o córrego cachoeira, no São Joaquim transbordou, mas sem necessidade de retirar nenhum morador. Durante a noite, duas equipes seguem de plantão e, em caso de necessidade, basta acionar o serviço pelo WhatsApp (42) 9 8837 1655, direto da coordenação da Defesa Civil. O Corpo de Bombeiro tem problema de atendimento no telefone 193, por isso para emergência pode mandar mensagens no (42) 3912 7099, via WhatsApp.

Ainda, a Defesa Civil disse que a barragem da antiga Unidade de Industrialização do Xisto (SIX), atual Paraná Xisto, está sendo monitorada. Também orientou para que as pessoas evitem de passar por alagamentos, bem como, não se aproximem de locais alagados, por risco de ficarem ilhados ou até de serem vítimas das cheias de rios e córregos nessa situação delicadas das chuvas em toda a região.

Da redação com informações da Defesa Civil, via divulgação de pessoas da imprensa com acesso à entrevista com a entidade e Prefeitura e imagem recebida via WhatsApp.